domingo, 8 de abril de 2012


Tudo está tão confuso ultimamente. Há vontade de mudar, de fazer diferente, mas sempre acabo caindo naquele mesmo início, na alegria pela dor, na tristeza, no sofrimento que conforta.
Não posso desistir agora, mesmo que tem me machucado tanto, mesmo tendo consciência do quão autodestrutivo isso é. Tenho medo de perder o controle. Medo de me odiar ainda mais. Acima de todo mal que me faz, isso me fortalece. É contraditório como o sofrimento faz eu me sentir bem comigo mesma.
Tenho ido à academia todos os dias, não perdi peso, pelo contrário, estou pesando 2 kg a mais. Quase chorei quando vi o ‘resultado’ de um mês de esforço. Me disseram que o aumento de peso se dá devido o aumento da massa muscular, e realmente é, porque minhas medidas agora, em comparação com o dia que comecei, diminuíram consideravelmente. Mesmo assim, me olho no espelho e continuo vendo a mesma gorda nojenta de sempre. Deve ter sido por isso que não estive mais postando. O desânimo tomou conta de mim de uma vez por todas.
Mudando de assunto, desejo a quem acredita nisso (eu não) uma feliz páscoa. Feliz, ou ao menos tranquila, sem compulsões, sem desespero, sem choro, porque a páscoa pra mim é só isso; uma data consumista, cujo maior significado é o chocolate, e chocolate, calorias, comer, é sinônimo de depressão; e disso, já estou farta...