segunda-feira, 13 de maio de 2013

Update


Tenho tanto para contar e me perco nas palavras, não sabendo nem mesmo como começar o post...
Minha vida está uma loucura.
Nosso novo apartamento é enorme e é lindo. Moramos entre sete pessoas, é quase que uma república (risos), cada uma tem seu dia de cuidar das tarefas da casa durante a semana.
Tenho uma liberdade (condicionada) que tem mudado completamente minha vida.
Fico com minha afilhada pela manhã, dou o almoço meio cedo, pois ela vai à escola à tarde, então, como estou sozinha com ela nesse momento, não almoçar e/ou fazer NF tem sido muito fácil... Durante a tarde fico lendo muito, estudando e fazendo o que há para ser feito no final da tarde saio de casa e vou para a aula. E por falar nisso, estou AMANDO meu curso. Não quero mais mudar não ^^ e o pessoal é muito legal... Adoro ir pra universidade. Apesar de ser sempre um caos na hora de me vestir, onde tenho vontade de chorar até desidratar e não sair pra canto nenhum... o que acontece em qualquer situação em que tenha que sair de casa, na verdade.
Mudando de assunto, estou ficando com um cara há um tempo, o conheci logo que cheguei aqui no DF, ele é amigo de minha prima e é mais velho que eu. Nos entendemos super bem, fora a parte de que ele vive dizendo que precisa de um manual de instruções para conseguir lidar comigo, para entender minhas variações de humor momentâneas.  Eis que ele se declarou para mim e resolveu que quer ficar comigo. Momento de silêncio. Mais tarde, conversando e falando sobre nossas vidas, ele disse certas coisas que senti tanto por mim mesma e comecei a chorar. Foi uó, mas estava realmente me sentindo muito machucada e com tudo o que ele falou, não segurei a barra...enfim. Fomos a um evento, chamado “Toca Raul”, e entre música e outra, ele pediu se eu queria ser sua namorada ‘-‘ não sabia nem o que dizer... a verdade é q ainda amo meu ex-pseudo-namorado (aquele que há um tempo comentei que conheci pela internet e super apaixonei por ele e passei três anos numa dependência maldita, sofrendo, me acabando de chorar por ele e com isso piorou em 200% meu T.A.). Isso já faz alguns dias; não dei resposta pra ele ainda. Nem sei se darei. Vou deixar o tempo ir passando. Tenho medo de magoá-lo também porque ele me trata muito bem e faz mais que o possível pra me ver sorrir.
Bom, mudando de novo de assunto; minhas dores de cabeça, enjôos e tonturas continuam, entre crise e outra, tenho tido dificuldade de pensar, descansar e me divertir. Passei mal na aula, no supermercado, no barzinho... estou virada numa ameba. Na verdade eu vivo mal, os momentos em que estou bem acho que no fundo são os que finjo estar bem. Complicado. Meu humor é uma coisa de louco. Sou muito falante e vivo dando opiniões e ideias pro pessoal da facul e com todos que convivo, conto sobre tudo que fazia e ideias que tenho, de repente meu humor muda, fico triste, mudo de assunto, me distraio, fico mau-humorada, me agito, variações, variações, variações, que me enlouquecem e confundem todo mundo... Fiquei surpresa ao ouvir, em situações diferentes a mesma pergunta de amigos, colegas e até professores: você por acaso não tem DDA? ‘-‘ falo que é claro que não. Mas tenho pensado bastante nisso. Será que é possível? Alguém aí que faz psicologia poderia opinar?
Ok. Acho que é isso. Sinto falta daqui. Muitas vezes com o celular (pois estava sem internet por um mês) li os blogs, mas é ruim pra comentar e postar, ainda mais que sou muito desastrada e me estresso. Pretendo voltar em breve. Tenho tantos livros para ler, trabalhos e provas que às vezes nem me lembro de tomar água.  
Espero que estejam todas bem. Obrigada pelos comentários do último post, pela atenção e preocupação comigo. AMO MUITO todas vocês. Com certeza se não fosse por todo apoio, não saberia como lidar com muitas situações de minha vida.
Lembrem-se: tudo vai dar certo, tenhamos sempre persistência e dedicação. Levantemos a cabeça e vamos à luta de viver!
Muuitos beijos.